Ouça:

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Campanha do governo pela "valorização do professor". Então tá, né?



O vídeo acima tem sido exibido na TV ultimamente. É uma campanha do Ministério da Educação, tentando convencer mais jovens a se tornarem professores.

É bonito dizer que o professor tem a profissão mais importante para o desenvolvimento de um país. A questão é: além de dizer isso em anúncios cretinos como este - que usam argumentos parecidos com os de campanhas quem nos convocam para sermos mesários em eleição ou comprarmos tijolinhos do CT do Flamengo -, o Estado faz algo que realmente indique que o papel do professor é visto como algo tão fundamental?

Em vez do simples "seja professor, o Brasil precisa disso", seria mais eficiente uma campanha que dissesse coisas como "seja professor e receba um belo salário", ou "seja professor, nós investimos em sua qualificação". Preferem não falar nada disso, e sinceramente não sei dizer o que estão fazendo para que um dia possam fazê-lo.

Há uma lei que define, desde 2008, o piso salarial para o professor do ensino básico: R$950,00 - incluídas aí quaisquer gratificações além do salário - para 40 horas semanais de trabalho. O novo valor do salário mínimo está pra ser votado e a proposta do governo é que seja aumentado para R$545,00. Ou seja: o piso salarial para a profissão mais importante para o desenvolvimento do país não chega a dois salários mínimos  - e isso foi um avanço, que não veio com facilidade. Governadores na época viram uma porção de defeitos na lei, que lhes faria gastar mais, e recorreram ao Supremo Tribunal Federal, alegando ser inconstitucional.

Ao mesmo tempo, como sabemos, nossos deputados se deram-se a si próprios um belo aumento no final do ano passado: agora ganham - no caso deles, excluídos os benefícios e auxílios múltiplos, e comparecendo à Câmara beeeeem menos que as 40 horas semanais de trabalho dos professores - R$26.723,13. Ou seja:  cerca de 49 salários mínimos, se seu novo valor for o da proposta do governo, ou 28 vezes mais que o piso salarial do professor de ensino básico.

Afinal, qual dos dois é mesmo o mais importante para o desenvolvimento do país? E qual seria o resultado desta comparação de salários nos países desenvolvidos mostrados na campanha do governo - aqueles que servem de modelo por valorizarem os professores?

Nenhum comentário: