Ouça:

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Como foi: Amy Winehouse no HSBC Arena - 11/01/2011


A comparação é mais ou menos essa: O show da Amy Winehouse tem que ser levado como um investimento de risco. Ela pode estar só na aguinha num dia, no outro tocar só 40 minutos e no seguinte fazer algo mais razoável. O que complica é que o trabalho dela é realmente muito bom e a gente acaba embarcando nessa onda.

Aí por conta disso surge todo tipo de opinião sobre o show, desde algo como:


"ACABEI DE CHEGAR
Caraaaaaaaaaaaaaaaa
foooi perfeeeeito nãao teem o quee reclamaar
Elaa ée demaiis, Lindaa e cantaa pra caralhooooo rs
e aiinda tevee gentee reclamandoo,
nãao seei pra quee foooi :@@
ELA É PHODA DEMAIS.
Nãao seei neem o quee escreveer de tãao emociionadaa
UAHSUAHSUAHSUHAUSAUSHAUSH³ '
Maaaaais fooi o quee Euu esperavaa
LINDO DEMAIS *---*
Divaa Amy :D <3" (busquei no Orkut esse, dá pra reparar facilmente que veio de uma fã incondicional).


E também "Tremendo desrespeito a Amy Winehouse se apresentar no estado que estava para um público que pagou no mínimo R$90 para assisti-la. Errou letras, perdeu entradas e atrasou o andamento de várias músicas. Isso porque ontem foi bem melhor do que segunda-feira...Lamentável. É pra aprender a não gastar mais dinheiro em show de artista sequelado. Amy nunca mais.Show bom mesmo foi o do Paul McCartney no Morumbi que com 68 anos pulou e cantou durante mais de duas horas. Esse da Amy Winehouse foi, no máximo, regular. Vamos colocar as coisas em perspectiva." (via Twitter esse, de um guitarrista recém casado, que anda rabugento com tudo por conta do Wanderley Luxemburgo).

Claro que dá pra filtrar muito dos dois comentários. No meu caso, eu tenho que admitir que eu curti o show. Apesar de muita coisa eu curti. O lado ruim do show dela é que mesmo com tudo andando bem, não dá pra ficar totalmente relaxado e aproveitar, porque sempre fica uma apreensão com a possibilidade de ela cair no chão dura, esquecer a letra e o show parar, ela ir embora pro camarim e não voltar mais...(daí a comparação que andam fazendo com os shows do Tim Maia). Pra mim isso corta muito o tesão de um show. Considerar que foi "sorte" ela ter feito o set com 17 músicas no dia soa como piada.

O que parece piada também é ela cantar cinco músicas, sair do palco e deixar o público ouvindo o vocal de apoio mandar duas músicas inteiras enquanto ela não volta. Na boa, ele manda bem, mas ninguém pagou pra ver o cara e aquilo fica muito claro que é tapa-buraco por conta das condições dela. Muito triste ver depois ela voltando, totalmente transtornada, errando várias vezes a entrada das músicas, (tendo que recomeçá-las e tudo mais), conversar o tempo todo com alguém da banda como se perguntasse - Qual é a próxima mesmo?

Prometiam que esses shows no Brasil seriam da volta dela, supostamente reabilitada. A fã incondicional do post no Orkut vai me perdoar, mas se o que eu vi ontem foi a Amy reabilitada, ela devia estar em coma vegetativo antes.

Enfim, como eu já disse, apesar de tudo eu curti. Ela tem uma banda espetacular, que segura inacreditavelmente as músicas (que eu acho maneiríssimas) e fazem de tudo pra manter o ritmo do show firme.

A sensação que eu tive é que depois de dois anos sem fazer show por conta de drogas, esse foi um passo bacana pra ela. Muito longe do ideal, mas com certeza uma melhora pra ela. Valeu ver ela sorrindo, dançando, curtindo o show dela mesma. Parecia feliz. Isso tem que ser considerado pra quem curte o trabalho dela e tem esperança de ela ficar realmente reabilitada um dia e buscar uma volta por cima mais profissional na carreira dela. Isso se ela quiser e conseguir, claro.

Ela tocou uma nova que eu curti bastante, pena que não sei o nome e não achei vídeo no youtube. Mas já é um bom sinal aí. Claro que por enquanto ela está mais pra essa imagem abaixo que sempre deixa a gente apreensivo sobre as condições dela pra gravar:




É meio vacilo, eu sei, mas achei muito engraçado!

O show antes da Janelle Monáe foi bem legal! Ela canta demais, mega vozeirão (por vezes exagerado, achei), tem cara de que vai fazer muita coisa boa mais pra frente. Se esforça muito e faz de tudo pra fazer uma apresentação impecável e cativante do início ao fim (o esforço chega ao ponto de ela pintar um quadro durante o show!). Eu conhecia pouca coisa dela, basicamente só esse clipe dela que tem danças que incham meu tornozelo só de olhar:



Ah, o HSBC é um lixo. O som não é dos melhores, organizam um curral de entrada que não faz NENHUM SENTIDO, principalmente NO MEIO DE UM TEMPORAL, sem contar que a segurança do lugar é deficiente. Três amigos estacionaram dentro do local e tiveram o carro arrombado. Levaram entre outras coisas o laptop do trabalho de uma delas. Imaginem o prejuízo dessa pessoa e o perrengue de fazer B.O. na polícia de madrugada, no meio da semana e tendo que trabalhar no dia seguinte. O pior é que vai ter Iron Maiden em março e eu to afim de ir.

O set do show da Amy foi mais ou menos esse:

Just Friends

Back to Black

Tears Dry On Their Own

Boulevard of Broken Dreams
(Tony Bennett cover)

Outside Looking In

- ? (provavelmente a nova)

I Heard Love Is Blind

Some Unholy War

What a Man' To Do? (by Zalon Thompson)

Rehab

You Know I'm No Good

Valerie

Love Is a Losing Game

Me & Mr. Jones

You're Wondering Now


Os vídeos do show que encontrei até então:











Esse cara aqui tirou algumas boas fotos do show - http://www.flickr.com/photos/leonardotorres/

Nenhum comentário: