Ouça:

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Como foi: 4/7/2009, festa Bangarang no Mal do Século (Rio de Janeiro, RJ)


Meses ensaiando e finalmente chegou a hora do show. Rolava uma animação, mas também uma tensãozinha. E se não der público? E se o público que aparecer não gostar? E se na hora H a banda não for bem, bater o nervosismo, a galera sair errando tudo o que acertava no estúdio?

Bom, não era esse drama todo também. Mas tudo isso passou pela cabeça em algum momento. Por sorte, não aconteceu nada disso.

De fato, o costume do povo da noite do Rio de entrar tarde pra cacete em qualquer lugar apareceu. E, como banda de abertura que éramos, não pegamos a casa lotadaça como ficou mais tarde, para o show principal. Mas, no momento em que tocamos, o pessoal que estava lá já era bem razoável. Infelizmente, ficamos sabendo que, enquanto estávamos no palco, a fila do lado de fora era grande e andava devagar; gente que tinha ido lá pra nos ver contou que ouviu o show da rua, tentando entrar. Faz parte - pessoal, tentem ser mais pontuais da próxima vez!

E quem estava lá gostou do show - ao menos, foi o que demonstraram no momento e nos contaram depois. Tinha lá todos os amigos, mas também um pessoal da festa, que vai lá pra ouvir especificamente o som jamaicano dos anos 60, e que mesmo assim gostou do que apresentamos de diferente. Foi legal.

E nós fizemos no palco o que ensaiamos no estúdio, mesmo. Saí satisfeito conosco - vai melhorar, é claro, mas estreamos bem, com pé direito. Foi uma noite feliz.

Depois da gente, o Mal do Século cheio dançou com o show do Guanabara Ska Clube, que tocou com a competência de sempre os covers de Skatalites e adjacências que sempre caem bem. No final, deveria ter rolado uma participação minha no bis - houve o chamado, mas com a casa cheia como estava, lá de trás, confesso que não ouvi e por isso não cheguei no palco. Pode ter acontecido no momento em que um carinha entrou numa de que eu era gringo, embora eu tenha dito pra ele que não em bom português, e resolveu puxar uma discussão meio surreal num inglês joelsantânico alcóolico. Métch from brihaind, sabe como é?

Esperem pra breve o surgimento de fotos e vídeos do show. O setlist:

- A praieira (Chico Science e Nação Zumbi - rolou só pra introdução do show)
- Sábio da montanha
- Incorrigível
- Devil in disguise (Elvis Presley)
- Deixe isso pra trás
- Coisas pequenas
- Old friend (Rancid)
- Não quer dizer nada
- Algo aprendi
- Sem compromisso (Chico Buarque)
- Suspeito

Mas então: quem foi lá e passar por aqui, conta aí o que achou!

Nenhum comentário: