Ouça:

domingo, 14 de dezembro de 2008

De repente, eu conto por aqui agora como foi o show do Toasters

E aí povo, eu sou o "baixista Paulo" ( o que o André citou como formidável em posts passados : P ). Recebi a tarefa de contar como foi o show do Toasters lá em São Paulo e contar o que que o Rio perdeu de bom.

Eu fui um dos que ficaram totalmente eufóricos com a vinda dos caras pro Brasil. Comentei em tudo quanto é comunidade do Orkut, fotologs e afins, enchi o saco de muita gente com isso, inclusive dos organizadores de show ( tanto SP quanto RJ ). Quando recebi a confirmação do cancelamento do show eu fiquei maluco. O jeito foi dar as caras na Rua Augusta mesmo e ver o show junto com a minha patroa e os mano tudo cabulôso de lá.

De abertura teve Skarrapatos-KO, Sapo Banjo e Maleducados. Os shows só foram começar lá pras onze e tanto da noite e varou a madrugada firme! Parece que os grandes atrasos por conta de pouco público é comum não só no Rio de Janeiro...

O Skarrapatos-KO começou o show mostrando o novo clipe deles ( o primeiro está até no MTV Overdrive ). A banda leva aquele skacore pesadão com metais e dois vocalistas ( um magrinho e outro que é o próprio Sideshow Bob dos Simpsons ). Tocam músicas que falam de atitude ( tem que ter atitude cara! ), beber, pegar prostitutas e drogas ilícitas.

Depois veio o Sapo Banjo, que está com um trabalho novo que me agradou bastante... muito mais animado e bem tocado que antes. Ganharam fácil o público que naquela altura já estava lotando a Outs. O trompete da banda se destaca bastante, especialmente na versão que fizeram de "Trem das Onze" que ficou bem bacana!

A última banda de abertura foi o Maleducados, que eu conhecia muito pouco e curti bastante também. O som deles puxa mais para os primórdios do som jamaicano e já garantem presença com todos tocando de terno, chapéu, sapato brilhando e tudo mais. Curti bastante e recomendo.

Bom, só para situar vocês sobre o evento, o show deles foi terminar depois das duas da manhã. Um cara apareceu no microfone para falar que o Toasters tava na pilha de tocar até o amanhecer...

Continuando:

No intervalo que teve logo antes de um dos meus "shows dos sonhos" ( posso postar a listinha aqui mais pra frente ) foi interessante por só tocar coisas que eu aqui no Rio dificilmente ouviria. teve Ramones velho, Clash velho, Sex Pistols, Dead kennedys ( incrível, nunca iria imaginar ouvir California Ubber Alles aqui mesmo!), Stray Cats e até Operation Ivy. O público conhecia e cantava tudo empolgado.

Aí veio o momento do show do Toasters. Eles já são conhecidos por trocarem de integrantes como trocam de roupa. Essa formação de agora é bem diferente da dos anos 90 e os arranjos mudaram um bocado, é verdade. Já não tocam mais com trompete ( alguém aí lembra o nome daquele gordão do trompete que tocava ultra agudo? Ele era demais! ) e os metais agora contam com trombone e sax.

Não há mais nenhum integrante negro também. O último foi um baixista que saiu ainda esse ano e deu lugar para um grandalhão britânico de cavanhaque que toca legal mesmo. Bucket continua tocando um absurdo na guitarra e tem mania de tocar de olho fechado o tempo todo. O baterista é outro que está destruindo ( aquele estilo de baterista que toca fácil, fazendo piada com o público e fazendo malabares com as paquetas enquanto toca ) e os metais têm o destaque pro trombonista, que ninguém dá nada pro cara mas na hora do show mostrou que toca muito.

O show começou de cara com 2Tone Army, e foi tocando tudo que é bom logo em seguida. O som que atrapalhou um bocado, a banda ficou o início do show todo reclamando de retorno e de volumes. Tocaram umas três do CD novo que nem foi lançado aqui ainda, "One More Bullet" ( já baixei e me amarrei, a capa é uma beleza! ), delas eu destaco "Life in a Bubble" e "You´re gonna Pay", muito boas!

Do set todo eu senti falta mesmo foi de "Run Rudy Run" ( que até foi regravado no CD novo ), Talk is Cheap ( hino! ) e claro, a música que eles fizeram em homenagem ao nosso Rio de Janeiro, "Road to Rio", que fala sobre a ida deles a Paraty e sobre os nomes engraçados de pinga que eles provaram por lá, tudo num clima meio merengue e que acabou não rolando nem lá e nem aqui... Aliás no show ele até elogiou o Brasil, falando bem até do nosso abacaxi, vai entender.

Taí o set do show pra vocês entenderem o quão bom foi:

2Tone Army
Shocker
I'm Running Right Through The World
Shebeen
Pirate Radio
Social Security
You're Gonna Pay
Life In A Bubble
What A Gwan
East Side Beat
Pool Shark
Weekend in LA
Decision at Midnight
Don't Let The Bastards Grind You Down
One Track Mind
Matt Davis

Tá, só a lista não basta né... Fiz um videozinho com som meio fraquinho de 2Tone Army pra postar aqui. Ó só:



O show só foi acabar 4:20 da manhã. Todo mundo satisfeito e dançando do início ao fim. Eu estava destruído tendo que acordar para fazer checkout no hotelzinho e pegar avião de volta. De nada disso eu reclamo, claro. Foi tudo fabuloso. O problema é ter segunda-feira depois! : )

Um comentário:

Luisa disse...

Nosso abacaxi é sensacional, mesmo. Aliás, banana e mamão também. Lá fora não encontro coisa igual.

Não que seja isso a parte relevante do post, mas enfim! Que bom que vc conseguiu ir ao show, muita pena que não rolou no Rio. Nos vemos esse mês, quero ver ensaio do Don Robalo!

Beijos!